Home / Canais / Academia
Relações literárias e culturais ibéricas apresentadas em livro

«De espaldas abiertas. Relaciones literarias y culturales ibéricas (1870-1930)» foi apresentando no dia 15 de maio na Universidade de Évora (UÉ), por Margarida Amoedo, professora do Departamento de Filosofia da UÉ.

 «De espaldas abiertas. Relaciones literarias y culturales ibéricas (1870-1930)» dão mote ao novo livro de António Saez Delgado, Professor do Departamento de Linguística e Literaturas da Universidade de Évora e de Santiago Pérez Isasi, investigador no Centro de Estudos Comparistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, presentes na sessão de lançamento.

Os autores consideram que a relação entre Portugal e Espanha é geralmente vista como “vizinhos que viram as costas”, sobressaindo inclusive uma “amarga animosidade”. No entanto, esta obra propõem-nos um estudo da história das relações culturais entre os dois países ibéricos, atentos a “um dos momentos históricos em que as relações literárias e culturais eram mais intensa e frutuosa”: o período entre 1870 e 1930, ou seja, a partir da geração de Antero de Quental, Clarín, Eça de Queirós ou Emilia Pardo Bazán e à ligação “a movimentos ibéricos modernistas e de vanguarda”, destacam.

A Península Ibérica é “concebida como um complexo, multilingue, culturalmente polissistema policêntrico e heterogênea, em que coexistem diferentes sistemas literários que estabelecem entre si relações flutuantes e interdependência mútua”. É esta rede de relações “e interferências que justifica uma consideração comparativa das literaturas e culturas ibéricas, como a que propomos neste estudo” concluem.

Publicado em 16.05.2019