Home / Canais / Ciência
Equipa do ICAAM
Foto: ICAAM
Vírus isolado por equipa do ICAAM utilizado por empresa alemã para produção de novo imunoreagente para diagnóstico

A empresa alemã de biotecnologia Loewe® Plant Diagnostics, especializada na produção de reagentes para o diagnóstico de patogéneos responsáveis por doenças em plantas, incluiu no seu catálogo para 2012 um novo anticorpo que permite detetar e identificar o vírus OLV-1 (Olive latent virus-1). Este vírus foi pela primeira vez isolado em Itália, depois em citrinos na Turquia, em oliveiras em Portugal e mais tarde em vários países da região do Mediterrâneo, além de tulipas no Japão.

O Laboratório de Virologia Vegetal do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (ICAAM) foi o primeiro a sequenciar o genoma completo de OLV-1 isolado de oliveira, o que permitiu a sua caraterização detalhada e o desenvolvimento de metodologias de diagnóstico. Recentemente, o vírus isolado e estudado no ICAAM foi cedido à empresa Loewe com o objetivo de permitir a produção de anticorpos em larga escala e a comercialização de reagentes específicos, o que possibilita o seu diagnóstico em plantas infetadas.

Os efeitos associados à infeção das plantas hospedeiras por OLV-1 variam desde a diminuição de vigor e longevidade, distorção de ramos e folhas, cloroses e necroses foliares até à ausência de sintomas.

O impacto económico da infeção com este vírus não é ainda bem conhecido mas a enorme importância económica das culturas da oliveira e dos citrinos para Portugal e para a generalidade dos países mediterrânicos justificam a necessidade do diagnóstico do OLV-1, de modo a poder garantir a seleção e a utilização de material vegetal de propagação isentos de vírus, tal como é exigido pela legislação europeia. Por outro lado, a disponibilidade de um imuno-reagente específico permite a realização de estudos epidemiológicos e o estabelecimento de estratégias de controlo da virose associada a OLV – 1.

ICAAM
Publicado em 13.02.2012