Home / Canais / Academia
Évora vai ter nova residência universitária

Foi hoje assinado o contrato de adjudicação para construção de uma nova residência universitária para estudantes da Universidade de Évora. A sessão pública decorreu no Colégio do Espírito Santo, ficando a data de 18 de dezembro de 2018 associada ao arranque do processo, com data prevista de conclusão já em setembro do próximo ano.

Com uma área de aproximadamente 27.000m² e um investimento de cerca de quatro milhões de euros, o Évora Campus Residence vai “nascer” perto das piscinas municipais de Évora, num terreno a Norte da Rua Rotary Internacional. Com unidades de alojamento concebidas numa lógica modular, incluí vários grupos de moradias com diferentes áreas, oferecendo alojamento para um total de 306 estudantes e professores residentes ou ainda visitantes da Universidade de Évora, distribuído por 114 habitações.

Esta nova residência é produto do esforço que a Universidade de Évora tem vindo a realizar no sentido de encontrar soluções para fazer face à crescente dificuldade dos estudantes universitários encontrarem alojamento na cidade de Évora. Conforme esclareceu Ana Costa Freitas, Reitora da Universidade de Évora, “não sendo expectável que todos os estudantes encontrem alojamento em residência universitária, é no entanto essencial que consigam alojamento a preços aceitáveis e em zonas de fácil acesso aos principais edifícios da Universidade; por isso avançámos para esta solução.”

A sessão pública de assinatura do contrato de adjudicação à Skycity S.A contou, ainda, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto Sá e do Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, que apresentaram outras soluções já em desenvolvimento, quer ao nível local, quer ao nível central, nomeadamente, o Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior.

Ana Rita Silva, reeleita esta semana como Presidente da Associação Académica da Universidade de Évora fez questão de frisar que “a habitação é a parcela mais importante e variável, naquilo que são os custos inerentes a frequentar o ensino superior. Este crescente problema de alojamento, agravado com o crescimento do sector turístico (…) tem vindo a “expulsar” do seu interior os habitantes que promovem o ano inteiro uma economia estável ao município onde residem.”

Foi a partir desta abordagem que a Presidente da AAUÉ endereçou à Reitora uma palavra de agradecimento por “cumprir o que há muito temos debatido e por ter encontrado esta solução”, seguida de um apelo: “é imprescindível cumprir os prazos relativamente a esta nova residência, (…). Mais ainda, é preciso continuar na busca de soluções”. E considera que “(…) para além do esforço que é necessário por parte da Câmara Municipal de Évora, da Universidade de Évora e do Governo para atenuar esta e outras situações, é necessário existir uma interligação entre as políticas da tutela, as IES e as Autarquias, para que o Ensino Superior mostre sinais de desenvolvimento. A sinergia a que hoje assistimos, é o sinal de que Évora está a dar o primeiro passo no caminho da mudança.”

Recorde-se que o número de camas disponíveis nas sete residências da Universidade de Évora cobre apenas 6,5% da população estudantil desta instituição de ensino superior, traduzindo-se em 549 camas para um universo de cerca de 8500 estudantes.

Publicado em 18.12.2018