Home / Canais / Academia
Ministro elogia intervenção do Laboratório Hércules da UÉ

O ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, elogiou ontem, em Évora, a intervenção "inovadora" de conservação e investigação desenvolvida no Templo Romano pelo Laboratório Hércules da Universidade de Évora.

O ministro, em declarações aos jornalistas, considerou esta "intervenção muito importante porque, pela primeira vez desde o século XIX, houve oportunidade de fazer um trabalho de restauro e, ao mesmo tempo, um estudo" deste templo, recorrendo a técnicas "modernas" dando uma "imagem nova" a este monumento.

 

Por sua vez, a diretora regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, sublinhou que, com esta intervenção, permitiu perceber-se a "qualidade construtiva absolutamente notável" deste monumento. A necessitar de restauro, e a identificação dos problemas, “obrigou-nos a fazer a intervenção com maior celeridade para evitar que houvesse um decaimento da pedra e que se perdessem alguns fragmentos" desta estrutura. A diretora regional de Cultura sublinhou ainda que, "não só se fez a intervenção de consolidação, que era muito importante, mas também o estudo e o levantamento do monumento, que não existia", até à data, este monumento tinha apenas "sido objeto de investigação arqueológica, nos anos 80 e 90" do século passado, referiu.

Os trabalhos efetuados, inclusive recorrendo a tecnologias em três dimensões (3D), como destacou Ana Paula Amendoeira, permitiram "perceber a arquitetura do monumento", que tem "uma qualidade construtiva absolutamente notável".

Recorde-se que esta intervenção teve início em 2017, cabendo ao Laboratório HERCULES da UÉ, intervir na consolidação do material pétreo, mapeamento e análise geral do estado de conservação dos seus elementos constituintes, identificação e intervenção prioritárias de problemas; fixação de elementos que se encontrem soltos, como  lascas, escamas, fragmentos, e a remoção mecânica de materiais exógenos ou elementos disfuncionais, tais como argamassas incompatíveis e degradadas no interior de juntas ou fissuras.

 

Publicado em 27.06.2018