Home / Canais / Academia
Pilar del Río em debate na UÉ

A projeção do filme, seguido de debate com Pilar del Río, Presidente do CA Fundação José Saramago, teve lugar no dia 22 de novembro integrado nas Jornadas do Departamento de Linguística e Literaturas da Universidade de Évora.

No âmbito da sessão, Pilar del Río falou sobre o filme/documentário “José e Pilar” do realizador, argumentista e produtor de cinema português Miguel Gonçalves Mendes a uma plateia de estudantes. O documentário, filmado entre 2006 e 2009 é um retrato do escritor português José Saramago, falecido a 18 de Junho de 2010, tendo como pano de fundo a criação do seu romance "A Viagem do Elefante”.

O filme retrata o quotidiano, as viagens, e a sua relação com Pilar del Río. Para a jornalista e escritora espanhola, Miguel Gonçalves Mendes “queria fazer algo que, de alguma forma pudesse refletir uma península ibérica singular, tal como José Saramago o era”. 

Não fique o leitor com ideia que foi fácil convencer este casal a aceitar a rodagem do filme, porém, tal como Pilar salientou, Miguel Gonçalves Mendes “insistiu, insistiu”, até que Saramago aceitou. É como «água horada la piedra» referiu, como quem diz; água mole em pedra dura tanto bate até que fura, e José Saramago acabou por aceitar “trabalhar com o realizador durante uma semana, ou 10 dias”, assumindo que filmaria apenas “o quotidiano enquanto escritor, nunca a sua intimidade”. Os planos de Saramago saíram gorados, a rodagem do filme demorou 4 anos, (Pilar del Río confidenciou que incompatibilizou-se com o realizador ao fim de poucas semanas), “Miguel era como um Deus, estava em todo o lado”, reconhecendo a final que “Miguel é um grande realizador”, e recorda que “o filme teve bastante sucesso, inclusive encheu primeiras páginas de publicações” em países como o Japão, Coreia do Sul, Irão, Estados Unidos da América, entre outros.

António Sáez Delgado considerou Pilar uma personalidade “apaixonadamente humana, intensamente humana, sensivelmente humana e seriamente humana” e prosseguiu,“nada do que diz respeito à condição humana é alheia a Pilar”. Para este professor do Departamento de Linguística e Literaturas da Universidade de Évora, Pilar“é uma força de energia para todos, e sem dúvida nenhuma, uma pessoa que tem muito para nos contar”.

O filme/documentário venceu o prémio do Público da Mostra de São Paulo; Prémio do Público da Mostra Visões do Sul, nomeado para melhor filme pelos prémios Autor da SPA e nomeado para melhor filme documental pela Academia Brasileira de Cinema.

Publicado em 28.11.2017